Snacks “Raw”. O que são?

Como o nome em indica, traduzindo para português, “raw” significa nada mais, nada menos que cru, ou seja, snacks crus quando aplicado no contexto da frase.

No entanto, o que são exactamente estes snacks crus?

Poderá parecer um conceito estranho para alguns. Mas por mais estranho que pareça, a oferta deste tipo de produtos, aumenta cada vez mais o que será provavelmente um bom indicador que a procura caminha no mesmo sentido. Portanto, não será de estranhar, que dentro de pouco tempo, até mesmo aqueles que rejeitavam ou desconheciam o conceito, se vejam a consumir, ou pelo menos a depararem-se com estes snacks crus no seu dia-a-dia.

Um snack cru é essencialmente um produto que na grande maioria dos casos não foi cozinhado nem excessivamente processado. São trabalhados maioritariamente através de meios mecânicos.

Como é que isto se traduz em comida?

É bastante simples.

É provável até, mesmo que nunca tenham ouvido esta terminologia, já tenham consumido um snack “cru” sem o saberem, pois existem alguns exemplos na culinária portuguesa. Se formos até ao Algarve podemos encontrar um “snack” deste género, amplamente consumido, no entanto sem que ninguém o coloque na categoria de snack “cru”. Este petisco Algarvio são as Estrelas-de-Figo, que são essencialmente figos secos com amêndoas ligeiramente torrados.

Apesar de serem ligeiramente torrados, o que implica um processo térmico, estes produtos do Algarve têm um processamento mínimo, sendo compostos por amêndoas e figos-secos. Estes, através de um processo mecânico, são combinados para formar um delicioso snack.

O mesmo princípio é aplicado aos restantes snacks mais modernos.

 

São procurados ingredientes inteiros que com o mínimo processamento possam ser compostos em produtos deliciosos e equilibrados nutricionalmente.

São obtidos assim produtos mais “limpos”, sem aditivos, mas fazem no entanto crescer água na boca.

Com o mínimo processamento é possível fazer uso das próprias características de ingredientes “crus” para ganhar certos benefícios. No caso dos produtos à base de frutos-secos, devido às características dos mesmos, é possível, quando aplicada uma barreira ao oxigénio apropriada durante o embalamento, obter prazos de validade acima dos 6 meses. Isto sem a adição de qualquer tipo de conservante ou aditivo químico durante o processamento.

É fácil compreender o crescimento do “snack cru” quando entendemos a suas características e vantagens tanto nutricionais como ambientais.

Qualquer questão blog@wildbran.pt!

 

Please follow and like us: