Grab&Go. Com menos plástico e mais saudável.

É certo e sabido que as opções de refeição pronto-a-comer/grab&go são cada vez mais populares.

Como tal tornam-se cada vez mais presentes no dia-a-dia dos consumidores do meio urbano.

Estes consumidores, constantemente conectados ao rápido fluxo de informação através de dispositivos móveis, vêm o seu ritmo de vida acelerado, dispondo de menos tempo para preparar refeições em casa e/ou fazerem refeições sentadas de forma tradicional, optando em oposição, por soluções práticas e rápidas, recorrendo muitas vezes a serviços de prontos-a-comer/grab&go.

Esta alteração nos hábitos de consumo é uma excelente oportunidade para diversificar a oferta de um negócio já existente, ou até mesmo lançar um novo negócio direccionado para este tipo de oferta.

Por vezes, adicionar uma pequena e simples oferta de produtos prontos-a-comer aumenta significativamente o grau de satisfação dos consumidores habituais.

Estes percepcionam um aumento na oferta existente, através de um serviço adicional e verdadeiramente útil para o seu dia-a-dia. Consequentemente, a adição deste serviço reflete-se num aumento na proposição de valor do espaço.

Ao contemplar a introdução deste tipo de serviço, existem no entanto três factores extremamente relevantes a considerar:

Plástico

Um problema global, para o qual não devemos contribuir. Um serviço de pronto-a-a-comer/grab&go é extremamente intensivo em termos de uso embalagens e consequentemente propício à criação de resíduos não degradáveis/ sustentáveis. O plástico, apesar de extremamente barato a curto prazo, tem um custo, por vezes esquecido, a médio e longo prazo, pelo que a sua utilização deve ser totalmente evitada para produtos descartáveis.

Existem para este tipo de embalagens outras opções com menos impacto ambiental, ver (Evitar desperdício, poupar dinheiro e o ambiente). Por vezes o acréscimo de custo numa embalagem mais sustentável significa também um acréscimo de satisfação no consumidor e todos sabemos que um consumidor feliz volta para mais.

Não custa assim tanto, o ambiente agradece e o consumidor também.

Consumidores

Cada vez mais consciencializada para escolhas alimentares mais saudáveis a população portuguesa já identifica o valor acrescentado de refeições saudáveis e funcionais que promovam o bem-estar e a sua saúde. De acordo com o Inquérito Alimentar Nacional e de Actividade Física de 2015/2016 cerca de 41,8% da população nacional pratica atividade física de forma programada e regular, o que indica, apesar de indirectamente, que existe uma tendência para a promoção de um estilo de vida saudável que inclui a melhoria de hábitos alimentares.

Comida saudável

Não usar aditivos, açúcar adicionado e produtos processados é um bom começo e o primeiro passo para diversificar a oferta de forma a abranger um maior número de consumidores aparte daqueles já abrangidos com produtos convencionais. Oferecer um conjunto de soluções para vários tipos de refeições ajustadas ao consumo durante o dia sendo estas snacks saudáveis, refeições completas e batidos de fruta.

 

Qualquer questão blog@wildbran.pt.

Please follow and like us: